Skáldskaparmál 11 (Edda em Prosa)

Skáldskaparmál (Linguagem da Poesia) é a terceira parte da Edda em Prosa de Snorri Sturlusson e consiste de um dialogo entre o jötunn (gigante) Ægir e Bragi, o Deus poeta. Bragi ensina os significados dos kenningar (teorias) sobre várias coisas usadas na mitologia e na arte poética dos escaldos para Ægir.

Skáldskaparmál 11

11-Referências para Þórr.

Quais são as referências para Þórr? Assim, por chamar-lo filho de Óðinn e Jörð, pai de Magni e Móði e Þrúðr, marido de Sif, padrasto de Ullr, dono e possuidor do Mjöllnir e Megingjörð, Bilskirnir, defensor de Ásgarðr, Miðgarðr, adversário e matador de Jötnar e Fêmeas Trolls, assassino de Hrungnir, Geirröðr, Þrívaldi, senhor de Þjálfi e Röskva, adversário da Serpente Miðgarðr, filho adotivo de Vingnir e Hlóra. Assim disse Bragi, o escaldo:

42.A linha do herdeiro de Viðrir (Óðinn) estava longe de afrouxar, quando estava na esteira, no esqui (Barco) de Eynæfis (Jötunn), quando Jörmungandr se desenrolou no mar.
Assim disse Ölvir hnúfa:
43.O circulo de todas as Terras (Serpente Miðgarðr) e o filho de Jörð ficaram violentos.
Assim disse Eilífr:
44.O irmão de Röskva (Þjálfi) ficou enfurecido, o pai de Magni (Þórr) deu um golpe vitorioso; nem Þórr nem Þjálfi abalaram a poderosa pedra (o coração) com terror.
E assim disse Eysteinn Valdason:
45.O pai de Þrúðr (Þórr) olhou fixamente para o caminho íngreme (Terra) do anel (Serpente Miðgarðr) até a habitação do peixe vermelho (Mar) fluir sobre o barco.
Eysteinn disse mais:
46.O amado de Sif (Þórr) rapidamente trouxe para fora o equipamento de pesca com o velho companheiro, nós podemos agitar o chifre que jorra (Hidromel) de Hrimnir (dos Jötnar).
E ele disse mais:
47.O peixe da terra (Serpente Miðgarðr) respondeu de tal modo, que os punhos do parente de Ullr (Þórr) bateram ruidosamente contra o barco, que as amplas madeiras (do Barco) foram empurrados para frente.
E assim disse Bragi:
48.O amedrontador de Öflugbarði (Þórr) levantou seu martelo com a mão direita quando ele reconheceu o peixe que liga todas as terras (Serpente Miðgarðr).
E assim disse Gamli:
49.Enquanto o senhor do Bilskirnir, que nunca nutriu traição em seu coração, rapidamente destruiu o peixe do mar (Serpente Miðgarðr) com o destruidor (Mjöllnir) de baleia do desfiladeiro (Jötnar).
Assim disse Þorbjörn dísarskáld:
50.Þórr com Yggr tinham mensageiros (Æsir) que guardavam Ásgarðr com poder.
Assim disse Bragi:
51.E o feio anel (Serpente Miðgarðr) do caminho do lado do barco a remo (Mar) olhou de baixo fixamente com malevolência para o destruidor da cabeça de Hrungnir (Mjöllnir).
E Bragi disse:
52.Você fez bem, quebrando em pedaços as nove cabeças de Þrívaldi, conseguindo manter seus animais (os Bodes/ou Bois?) com notoriedade no sumbel.
Assim disse Eilífr:
53.O opressor (Þórr) do povo (Trolls) das mulheres que viajam ao anoitecer (Fêmeas Trolls) abriu a boca dos seus braços (os punhos) sob o ardente peso do joio da pinça (o Ferro).
Assim disse Úlfr Uggason:
54.O grosseiro robusto (Hymir) é dito ter pensado no tremendo perigo, no Senhor dos Bodes (Þórr) estar puxando o enorme peso (Jörmungandr).
E mais isso:
55.O mais poderoso matador (Þórr) deixou seu punho chocar-se no Gautr da montanha (Jötunn), um poderoso ferimento isso foi, na orelha do explorador (Jötunn Hymir) do osso dos juncos (Rocha).
(56.)O Viðgymnir (Þórr) que atravessa o Vimur arrancou fora, da brilhante serpente, a terra da orelha (Cabeça), nas ondas.
Assim estava lá dentro (do salão) decorado com imagens.
Aqui ele é chamado de Jötunn que atravessa o Vimur. Vimur é o nome do rio, que Þórr nadou, quando ele foi visitar a corte de Geirröðr. E o escaldo Vetrliði assim diz:
57.Você quebrou as pernas de Leikn, esmagou Þrívaldi, derrubou Starkaðr, ficou em cima de Gjalp morta.
E assim diz Þorbjörn dísarskáld:
58.Bateu na cabeça de Keila, você quebrou Kjallandi totalmente, antes de você matar Lútr e Leiði, deixou Búseyra sangrando;
você trouxe um fim a Hengjankjöpta, Hyrrokkin morreu anteriormente; ainda foi antes do escurecer que a vida de Svívör foi tomada.

Essa tradução foi feita por Marcio A. Moreira (Vitki Þórsgoði).Tentei manter-me fiel
na tradução e em preservar os nomes originais contidos no poema.® 2010
E-mail:asatruar42@hotmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s