Skírnismál (Edda Poética)

Skírnismál (Os Dizeres de Skírnir) é um dos poemas da Edda Poética. O poema foi preservado no século 13, nos manuscritos Codex Regius e AM 748 I 4to mas pode ter sido originalmente composto em tempos pagãos. Acredita-se que o poema era encenado, talvez em um tipo de hiéros gamos (casamento sagrado).

Skírnismál

Freyr, o filho de Njörðr, tinha se sentado no Hliðskjálf, e visto todos os mundos. Ele olhou em Jötunheimr, e lá ele viu uma linda donzela saindo do salão de seu pai e indo para jardim dela. Desde então ele caiu em uma profunda depressão. O servente de Freyr era chamado
Skírnir. Njörðr mandou ele para falar com Freyr.

Skaði disse:

01-“Levante-se agora Skírnir e vá pedir a meu filho* que fale. Pergunte ao sábio com quem ele está bravo.”

Skírnir disse:

02-“Palavras ruins eu terei de seu filho se eu ir falar com o rapaz e perguntar ao sábio com quem ele está bravo.”
03-“Me diga Freyr, líder de guerra dos deuses, o que eu desejo saber.
Por que você se senta sozinho, triste no salão, o dia todo meu senhor?”

Freyr disse:

04-“Como eu direi a você, oh jovem herói, a minha preocupação? É porque a Álfröðull* brilha todo dia e não sobre meu coração.”

Skírnir disse:

05-“Eu não acho que seu amor é tão grande que você não possa me dizer, herói, quando nós éramos jovens em dias de outrora nós podíamos confiar um no outro tão bem.”

Frey disse:

06-“No salão de Gymir eu vi a amada donzela andar perante mim e de lá os braços dela brilhavam o céu e o mar.
07-“A donzela é mais amada por mim do que tem sido por qualquer outro homem em dias de outrora. Nem os Æsir ou Álfar* ou qualquer homem deseja que nós fiquemos juntos.”

Skírnir disse:

08-“Me de o cavalo então, que eu possa usar através da escuridão e o famoso fogo chamejante* e me de a espada que balança sozinha
contra a tribo dos Jötnar*.”

Freyr disse:

09-“Eu darei a você o cavalo para usar acima da escuridão e do famoso fogo chamejante, e a espada que balança sozinha se for sábio para empunha-la.”

Skírnir falou para seu cavalo:
10-“É escuro lá fora. Agora eu digo, deixe nos viajar adiante acima das demoradas montanhas* sobre a tribo dos Þursar*. Ambos de nós voltaremos ou o grande jötunn levará nós dois.”

Skírnir cavalgou para Jötunheimr até que ele chegou na corte de Gymir onde lá estava os selvagens cães amarrados em postes de madeira do portão que ficava antes do salão de Gerð. Ele cavalgou adiante até o pastor sentado sobre um monte e falou para ele:

11-“Me diga pastor, você que senta sobre o monte da colina, que guarda todos os caminhos, como nós podemos chegar a falar com a jovem donzela longe dos cães cinzentos de Gymir.”

Hirðir* disse:

12-“Você está atado a morte ou é morto? Você nunca conversará com a boa filha de Gymir.”

Skírnir disse:

13-É melhor ser corajoso que lamentar por aquele que deseja viajar. Um dia minha vida foi gerada e uma vida longa foi oferecida a mim.”

Gerð disse:

14-“Que barulho é esse que ouço agora em nosso salão? A terra treme e tudo na terra de Gymir treme.”

Ambátt* disse:

15-“Há um homem lá fora que desceu das costas de seu cavalo. E deixou seu cavalo no pasto.”

Gerð disse:

16-“O convide para entrar em nosso salão e beber o hidromel da donzela! Embora eu temo que do lado de fora possa ser o matador de meu irmão*.”

17-“Você é um dos Álfar ou um filho dos Æsir ou um sábio Vanir? Por que você veio sozinho sobre o fogo selvagem para ver nosso salões?”

Skírnir disse:

18-“Eu não sou um dos Álfar ou um filho dos Æsir nem um sábio Vanir, embora eu venho sozinho sobre o fogo selvagem para ver seus salões.”
19-“Eu tenho aqui onze maçãs de ouro* que eu darei a você, Gerð, para iniciar um acordo de modo que você dirá que Freyr é para você o homem mais amado que existe.”

Gerð disse:
20-“Eu nunca aceitarei suas onze maçãs de ouro por amor de qualquer homem, e não de Freyr. Enquanto nossas vidas durarem, nós não viveremos junto.”

Skírnir disse:

21-“Eu darei a você o anel que foi queimado com o jovem filho de Óðinn*. Oito anéis de peso igual caem dele a cada nove noites.”

Gerð disse:

22-“Eu não desejo o anel, embora ele foi queimado com o jovem filho de Óðinn. Eu não sinto falta de ouro no salão de Gymir pois a abundância de meu pai eu compartilho.”

Skírnir disse:

23-“Você vê essa espada afiada brilhante que eu tenho aqui em minha mão, donzela? Eu cortarei sua cabeça de seu pescoço a menos que você concorde comigo.”

Gerð disse:

24-“Ameaças nunca me forçaram a fazer o desejo de qualquer homem, embora eu acho que se Gymir encontrar você, ele lutará se te  encontrar aqui.”

Skírnir disse:

25-“Você vê essa espada afiada brilhante que eu tenho aqui em minha mão, donzela? Perante essa lâmina o velho jötunn cairá, seu pai será um homem morto.”
26-“Eu golpearei você com o cajado mágico* e eu dobrarei você, donzela, para fazer minha vontade. Você irá para onde os filhos dos homens
nunca mais verá você de novo.”
27-“Você se sentará para sempre no monte da águia*. Você se afastará de seu lar e irá para Hel. A comida será mais repugnante para você que a brilhante serpente* é para os homens.”
28-“Você se tornará um espetáculo quando sair. Hrimnir* olhará em você e cada espírito olhará em você. Você será mais conhecida
que o guardião dos deuses, você bocejará através do portão*.”
29-“Loucura e lamentação, grilhões e impaciência aumentarão em você. Você se sentará e eu te ordenarei grande sofrimento e dupla aflição.”
30-“Inimigos subjugaram você através de dias escuros e na corte dos Jötnar você rastejará sem escolha ou sem esperança de escolha,
no salão do Hrímþursa* todo dia. Você terá choro por diversão, e você conhecerá a aflição e lágrimas.”
31-“Você sempre habitará com o Þurs* de três cabeças ou ficará sem marido.
Sua mente será estúpida e sua aflição irá consumir você.
Possa você ser como o cardo* tirado do topo das colheitas.”
32-“Eu andei nos bosques, em florestas úmidas para conseguir um Gambantein* e eu consegui um Gambantein.”
33-“Óðinn está furioso com você, Ásabragr* está furioso com você, Freyr odiará você donzela maldosa, você contraiu a mágica fúria dos deuses.”
34-“Me ouça agora Jötnar! Me ouça agora Hrímþursar*! Filhos de Suttung*, e os amigos dos Æsir! Ouça agora eu proíbo, como eu proíbo a alegria da humanidade para a donzela e a companhia dos homens para a donzela.”
35-“O Þurs* chamado Hrímgrímnir terá você em baixo de Nágrindr*. Onde o escravo dará para você, abaixo das raízes das árvores, mijo de cabra para beber. Você nunca mais tomará outra bebida. Isto é por seu próprio desejo, donzela, é por meu próprio desejo, donzela.”
36-“Eu esculpirei uma runa Þurs* para você e três bastões, ergi*, loucura e impaciência. Eu posso tirar fora os riscos* da mesma maneira que eu posso coloca-los se a necessidades surgir.”

Gerð disse:

37-“Bem vindo agora heróico rapaz e tome esse copo fresco cheio de venerável hidromel, embora eu nunca pensei que eu deveria sempre
amar o filho do Van.”

Skírnir disse:

38-“Eu quero saber se fiz toda minha incumbência antes que Eu cavalgue de volta daqui. Quando você conhecerá num encontro
o forte filho de Njörðr?”

Gerð disse:

39-“Nós dois sabemos que há um quieto bosque chamado Barri. Depois de nove noites, então Gerð dará seu amor
para o filho de Njörðr.”
Então Skírnir cavalgou de volta ao lar. Freyr estava do lado de fora e falou com ele perguntando por novidades.
40-“Me diga Skírnir, antes de você desarreie o cavalo, e antes que você de um passo, o que você ganhou em Jötunheimr que foi de meu prazer ou teu?”

Skírnir disse:

41-“Nós dois sabemos que há um quieto bosque chamado Barri. Depois de nove noites Gerð dará seu amor para o filho de Njörðr.”

Freyr disse:

42-“Uma noite é longa. Duas mais ainda. Como Eu deverei suportar três? Freqüentemente um mês parecia menos para mim que esperar a metade desse tempo, a noite de núpcias.”

As Notas:
01/2* Skaði chama Freyr de seu filho, embora outras fontes dizem que a mãe de Freyr é a irmã de Njörðr (que nunca foi nomeada, embora, talvez, seja Jörð).
04/3* Álfröðull é a Sól.
07/3* Æsir e Álfar são respectivamente os deuses e os elfos.
08/2* Parece ser um círculo mágico de fogo ao redor do lar de Gymir.
08/4* Jötnar são os gigantes.
10/2* Montanhas são abundantes em Jötunheimr.
10/3* Þursar são os gigantes.
*Hirðir significa Pastor.
*Ambátt significa donzela servente.
16/4* Seria Beli esse irmão? Beli foi morto por Freyr.
19/1* As maçãs são símbolos da fertilidade e imortalidade.
21/2* O anel é Draupnir e o filho de Óðinn em questão é Baldr.
26/1* Cajado mágico talvez seja aqueles bastões rúnicos ou outro talismã mágico.
27/1* Parece ser a montanha onde Hræsvelgr se senta na forma de águia.
27/4* Jörmungandr?
28/2* Hrímnir é um gigante.
28/4* Estrofe de difícil interpretação.
30/5* Hrímþursa significa gigante de gelo.
31/1* Þurs significa gigante.
31/5* Cardo é uma planta de folhas espinhosas.
32/2* Gambantein significa talismã mágico.
33/1* Ásabragr é outro nome de Þórr, segundo Snorri.
34/1* Jötnar e Hrímþursar são os gigantes.
34/2* Suttung é um gigante de quem Óðinn roubou o hidromel dos poetas.
35/1* Þurs significa gigante.
35/2* Nágrindr significa portões da morte.
36/1* Þurs é a terceira runa do futhark (alfabeto) viking. Essa runa é dita no poema rúnico norueguês ser a “a tortura das mulheres”.
36/2* Ergi significa homem afeminado, talvez Skírnir a usasse para fazer com que Gerð não arrumasse marido se ela não aceitasse Freyr.
36/3* Os ‘riscos’ possivelmente são runas.

Essa tradução foi feita por Marcio A. Moreira (Vitki Þórsgoði).Tentei manter-me fiel na
tradução e em preservar os nomes originais contidos no poema.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s