Cobertura da 1a Conferência Brasileira de Runas

Anúncios

Talismãs Rúnicos (parte 5)

Este talismã reúne Wunjo e Berkana e pode ser usado para o crescimento espiritual.

Concentração mental e estudos

Harmonia

Para a harmonia no lar, no trabalho, na sociedade em geral.

Desequilíbrio emocional e depressão

Para desequilíbrio emocional e depressão. Desenhe-o num papel e depois o queime, para se obter ação mais rápida, mentalizando toda a energia negativa sendo destruída pelo fogo.

Uso mágico das runas

As runas no dia a dia

As runas não são simplesmente um oráculo, elas podem e devem ser usadas no dia a dia.

São símbolos de proteção em primeiro lugar. Você pode usa-las em pingentes, desenhos, e na magia de uma forma geral.

Riscadas em velas ou dentro de círculos mágicos ou ainda potencializando magias e rituais para amor, saúde, prosperidade entre outros.

Em casa, em quadros e espelhos para atrair e afastar determinadas energias.

Também auxiliam no reequilíbrio energético, espiritual e emocional.

O mau uso das runas

Tenha em mente e no seu coração que você está lidando com uma energia mágica, sagrada e muito antiga!!! Trate tudo isso com muito respeito!!! Use as runas pra fins positivos e realmente necessários, não brinque com o oráculo!

Lembre – se sempre da Lei tríplice que é implacável.

Citando o credo das bruxas…  Sem prejudicar a ninguém, faça o que deseja!

Mitologia Nórdica (mini resumo)

Abaixo um breve resumo sobre mitologia nórdica.

Sua relação era panteísta, variável em seus dogmas e práticas, refletindo o mundo conhecido. No início achavam, havia, um vazio de névoa e gelo. Disso surgiu um gigante primordial chamado Ymir e dele nasceu um raça de gigantes de gelo, os deuses mais antigos. Quase todos esses gigantes foram mortos por seus descendentes. Os deuses mais jovens fizeram a terra do corpo de Ymir e colocaram-na no meio de um oceano. Em seu centro estava Midgard, fortificadas por altas montanhas limítrofes (o nome significa “parede limítrofe”).

Ali viviam os humanos. Nos desertos gelados ao norte das montanhas estava Utgard, onde ficavam presos os gigantes sobreviventes. Sob Midgard, no fundo da terra, estava Hel, guardada por uma deusa da escuridão de mesmo nome, pra lá iam os homens que morriam de doença ou velhice.

Acima da terra estava Asgard, lar dos deuses jovens, que viviam em palácios cobertos de prata.

Em Asgard, encontrava-se o Valhala – Mansão dos mortos – o glorioso céu onde os guerreiros mortos banqueteavam-se e lutavam, esperando pela batalha final – o Ragnarok– no qual o mundo seria destruído por fogo e gelo.

 

História em revista 800-1000 A fúria nórdica

Abril livros

Time life

O que é oráculo?

Uma pequena reflexão…

Oráculo: resposta de um Deus a uma pergunta do ser humano, pessoa que pretende ver o futuro dos seres humanos, vidente.

(mini dicionário da língua portuguesa)

Acredito que todos temos um Deus/Deusa interior, portanto se oráculo é a resposta de Deus a uma pergunta do ser humano, presume-se que esta resposta está dentro de cada um. Ouvir a si mesmo é ouvir o seu Deus/Deusa interior.

As respostas estão aí saltando a nossa volta, apenas não prestamos atenção nelas. É como se um véu cobrisse os nossos olhos, quando consultamos um oráculo (runas, cartas, tarô) retiramos esse véu e podemos ver o que sempre esteve lá.

  

As coisas que vemos são metade do que existem.”

seriado Médium (canal Sony)

 

...”Assim como o I Ching, Búzios, Runas, o Tarô é uma forma de conhecimento não dogmático capaz de perceber o que há de vir, que erroneamente se chama de adivinhação. O que há de vir sonda o futuro com fatos do presente e a mente já traz em si todos os componentes do amanhã.”

 

Tarô dos Boêmios

Papus

Ícone editora

Introdução – O que são Runas?

Uma das minhas imagens preferidas de Odin.
Odin

As Runas são signos alfabéticos de uma escrita cujos vestígios mais antigos datam aproximadamente do século II d.C. Eram usadas na demarcação de túmulos, inscrições sobre pedras, armas (espadas e escudos), na entrada das casas, na poesia, etc. Compuseram linguagem escrita, possuindo cada uma delas um som e significado próprios. Sem nunca terem evoluído para linguagem falada.

Cada runa está ligada a uma idéia, um sentimento, um momento, etc, e estão ligadas a deidades da mitologia nórdica. E cada símbolo emana uma energia especifica quando utilizado.

Devido ao seu grande poder tornaram-se também um oráculo.

É difícil dizer com exatidão a origem deste alfabeto, sabe-se que foram utilizados pelos velhos povos europeus (celtas, germanos, escandinavos, vickings, saxões).

As origens da palavra runa podem ser encontradas no antigo nórdico run, no neo-islandês runar ou no alemão arcaico runa. Tais palavras, por sua vez derivam da palavra raiz indo – européia ru, que podem significar “mistério” e/ou “segredo” e do alto alemão arcaico runer, geralmente traduzido como confidência.

Vê-se pelas várias origens de seu nome que ela foi usada por vários povos, percorrendo assim uma boa parte do continente europeu.

O “FUTHARK”, nome que é dado ao alfabeto rúnico devido a junção de suas primeiras letras, ou seja Fehu, Uruz, Thurisaz, Ansuz, Raido, Kenaz é composto por 24 símbolos associados a uma idéia, e a runa em branco ou runa de Odin.

Runemal é a arte de lançar runas